sábado, 27 de dezembro de 2008

The End.

Esse ano voou. Nas asas de um jato. Vejo as pessoas comemorando o Natal e o começo de um novo ano, sendo que nem vi esse passar... Na verdade, passou, mas despercebido por mim. Entrei de férias com a estranha sensação de estar vazia, é como se esse ano tivesse passado em branco.
Não entrei naquele clima, como quando eu era criança. Chegava o fim do ano e eu esperava ansiosa a chegada do Sr. Noel, e ficava emocionada ao montar o pinheirinho e todas as outras coisas, como de praxe. Esse ano? Nada mais tive do que a tradicional reunião de família, sem emoção nenhuma. Reconheço que foi a melhor das reuniões, mas para mim pareceu somente mais um jantar, e ainda não caiu a ficha de que daqui a alguns dias entraremos em 2009.
2009... 15 anos... Ensino Médio... Me parecia tudo tão distante, e agora sinto-os tão perto que posso pegar com as mãos. Acho que é por isso que tantos dizem para aproveitarmos a vida, pois ela passa rápido demais. Num piscar de olhos troca o ano, perdemos as chaves, conquistamos uma amizade. Numa fração de segundo perdemos uma pessoa querida, perdemos um amor, perdemos uma vida. E é impossível frear. É impossível segurar esse avião a jato.
E vejo pessoas enlouquecidas andando de loja em loja, procurando presentes que agradem ao bolso e a quem vai receber. Vejo namorados preocupados com o presente perfeito, pais procurando o brinquedo que o filho tanto quer. E isso só mostra o quanto o ser humano é materialista, pois parece que não existe felicidade sem presente. Assim como vi esse ano, perto do Dia dos Namorados, vários cartazes em forma de coração numa vitrine com os dizeres: "amor exige presente". Senti um angústia, pois passava por alí todos os dias na volta da escola e aquilo soava como uma lavagem cerebral, como se as pessoas não pudessem se amar sem um pacote bem enfeitado. Às vezes, esquecemos que o próprio presente é a presença daquela pessoa especial alí do nosso lado, nos apoiando e nos fazendo felizes. Esquecemos que presentes, se forem quebrados ou perdidos, podemos comprar novamente. Mas vidas e amores, não. Se quebramos a confiança de alguém, podemos remendar, mas não será igual. Se perdemos um amor, só Deus sabe se ele volta. Se perdemos uma vida...
É por isso que, nesse Natal, a minha lista para o Sr. Noel continha apenas 1 pedido: "Quero a família reunida para mais uma ceia feliz." Os outros presentes? Que se danem. Estão no meu quarto, intactos. E aguardo a chegada do ano novo, para renovar esse meu espírito tão cabisbaixo. É como dizem: "Ano novo, vida nova."
.
.
.

"Então é Natal, e o que você fez?

O ano termina e nasce outra vez.

Então é Natal, a festa Cristã

do velho e do novo, do amor como um todo.

Então bom Natal e um ano novo também.

Que seja feliz quem souber o que é o bem." ♪♫♪ (Simone)

3 comentários:

  1. O papai noel não é um cara legal, dica Cris , posta mais é uma web pra mim DHSUIAHDOSAJDIO'
    te amo amor ♥
    Vou ler depois comento de novo :*
    Giiiiiiiu.

    ResponderExcluir
  2. amei esse post e sim , passa muito rápido , continua escreveeendo Cris tá ótimo adoro as palavras que tu usa ♥ Giu.

    ResponderExcluir
  3. Criis, eu tenho exatamente a mesma sensação que tu: o ano passo tão rápido, e agora aquelas coisas que me pareciam distantes tão prestes a acontecer! Coisa de adolescente, segundo a minha mãe ._. iheeoiheoiheoiheoieh'
    Muito bom o post Cris, beijão ;*

    ResponderExcluir