quinta-feira, 2 de julho de 2009

Eu que não amo você

Ela segurava aquela foto com as mãos trêmulas. Não sabia como aquilo havia parado ali, nem ao menos lembrava que a tinha. Estava apenas procurando um par de meias limpas, quando achou-a intacta, no fundo da gaveta.
Até ali não entendia como podia ainda gostar dele. Não era o príncipe encantado de seus sonhos, que fazia serenatas e escrevia poemas. Não tinha os cabelos loiros, nem os olhos claros, e não tinha um cavalo branco. Era apenas um rapaz comum – talvez nem tão comum assim.
Incomodava-se com o descaso dele com seu futuro. Tinha planos muito vagos, alguns impossíveis. Era jovem, mas não mais adolescente. Já tinha seus vinte e poucos anos, e continuava a entorpecer-se enquanto assistia o sol nascer com seus amigos.
Mas amava-o assim, mesmo o odiando por completo. Ele era capaz de mudar seu mundo apenas com uma palavra.
Agora se via ali, com aquela velha foto nas mãos. Era um beijo, no dia em que o apresentou aos seus pais. Lembrou-se do momento com seus mínimos detalhes: o nervosismo, a roupa que ele estava, as palavras e a vontade de abraçá-lo e não deixá-lo sair de lá nunca mais. Então percebeu que sentia saudades. Muitas saudades. Fora uma tola em deixá-lo ir, mas aquele talvez não fosse o momento certo para continuarem.
Eles ainda casariam e teriam filhos. Ele morreria antes do que ela, quando fossem velhinhos, pois dizia que não suportaria a dor se ela morresse. Eles juraram que seria pra sempre... Sim, tudo isso aconteceria. Ele prometera, ele prometera!
Então, ela beijou a foto procurando novamente o sabor dos seus lábios, mas o chiclé de menta já perdera o gosto. Roçou-a em suas bochechas, procurando sentir os arrepios que sentia quando ele a tocava, mas suas mãos já não a queriam tocar. Tentou sentir o seu perfume, mas ele já se perdera no ar. Apenas percebera que ainda o amava, mesmo depois de tantos meses sem vê-lo. E agora já não poderia fazer mais nada, pois ele parecia já ter esquecido tudo isso, e já mudava o mundo de outra garota. Ele não a amaria tanto, tinha certeza. Ele prometera, ele prometera!
Então, já entre soluços e lágrimas, passou a repetir em voz alta “eu não o amo, eu não o amo, eu não o amo, eu não o amo, eu não o... eu não... eu...” até pegar no sono, ali no chão mesmo. A frase perdera o sentido, mas seu amor não.

16 comentários:

  1. Criiiiiis, post mais que perfeito.
    texto super lindo,
    algumas coisas demoram a começar a fazer tanta falta a ponto de tirar o pouco ar que ainda conseguimos respirar.
    muito lindo, :*

    ResponderExcluir
  2. muito perfeito o texto *-* me lembra até de uma situação que vivi! :Ç

    ResponderExcluir
  3. Perfeito diz tudo.
    te amo :*

    ResponderExcluir
  4. mas ele ama ela... a nova garota que ele faz o mundo girar, e ela faz o dele, para sempre serão eles dois, pq o amor existe entre eles! *--*

    ResponderExcluir
  5. o amor só o verdadeiro quando não tem fim, quando ambas partes se amam tanto que não existe mais nada além do amor e quando uma pessoa muda, mas não por quem está com ela e sim por querer ser alguém melhor para a pessoa amada.Mas agora é muito cedo para dizer se vai ser para sempre ou não :)
    Cris, tá realmente muito lindo o texto e tu sabe que as vezes pode ser a pessoa certa, mas na hora errada :}
    te amo!

    ResponderExcluir
  6. nem sempre é cedo, quando há planos para o futuro, eles se amam, e se existisse o amor entre essa pessoa antiga eles estariam até hoje, e teria dado valor a uma pessoa especial que nem ele é... não posso dizer que não é a pessoa certa ou foi na hora errada, se tivesse que ter acontecido estariam até hoje, mas o amor dela nunca existiu!

    ResponderExcluir
  7. O amor dela nunca existiu! [2]

    ResponderExcluir
  8. o amor dela ainda existe, talvez um pouco mais fraco, talvez seja só paixão mesmo... mas a história aqui é fictícia, isso nunca aconteceu. Uso hiperboles nos textos para torná-los mais interessantes. :*

    ResponderExcluir
  9. Interessante mesmo é falar sem saber do amanhã, quem te garante o futuro? Simples palavras ditas em momentos de amor? Palavras são apenas palavras o importante é saber até onde elas chegam ;)
    O amor existe e ainda existiu da parte dela, é impossivel falar sem que quer conheçer metade da história.
    E, afinal, é uma história fictícia. Se esse amor vai durar para sempre não o coloque aonde existe apenas um texto que você nem sabe se é ou não real. :*

    ResponderExcluir
  10. palavras ditas por dizer, prova o que nunca aconteceu... minha parte chega ao fim, o importante é que nós somos felizes e nos amamos!

    ResponderExcluir
  11. Hiperbole?
    é o nome novo pra desculpa "meu ex não vai voltar comigo e eu não posso fazer nada a não ser falar mal, e botar palavras que ele não falou na boca dele"?

    ResponderExcluir
  12. "afinal, é uma história fictícia"
    Finalmente alguem falo alguma coisa com sentido

    ResponderExcluir
  13. Sim, a história é fictícia e, se vocês não estão gostando do que estão lendo, parem de ler. A vida postada aqui é minha, sendo real ou não, pois este é o espaço em que escrevo o que sinto e penso, sendo que muito do que está aqui é apenas da minha cabeça.
    E todos estes chingamentos, e tudo o que estão falando para tentar fazer eu me sentir mal, podem continuar a fazer, pois não me importo com nada disso. Se vocês são felizes e se amam, porque continuam se importando com o que uma terceira pessoa escreve? Preservem o relacionamento de vocês, se amem, se beijem, sejam felizes enquanto estão juntos. Não percam isso que existe entre vocês, pois é uma das melhores coisas que existe. Mas também não precisam jogar na cara de quem não quer ver.


    P.S.: "Anônimo", não precisa esconder teu nome, eu sei quem está escrevendo.

    ResponderExcluir